arraste para o lado para ver mais fotos
Antonio Lopes - Crônica 351 – Mulher e Mãe Hoje

No século passado, as mulheres eram educadas para cuidar da casa, arranjar um bom partido, ter filhos e cuidar do marido (certas culturas ainda continuam dessa forma). Em várias famílias, mães que se submeteram ao rigor das doutrinas que tantas sofreram, e sofrem, insistem em dar ordens para suas filhas afirmando que devem obedecer e seguir a vontade de seus pais.

O antagonismo das jovens com suas mães se torna evidente pois, nesse mundo globalizado, buscam a liberdade que é reprimida e. com isso, acontece a revolta que leva a sentimentos amargos por não se compreenderem. Afetos de repressão e recalques em abundância ocorreram, e ocorrem, contribuindo para um grande número de angústias na vida adulta, que se manifestam em forma de conflitos neuróticos, sem entender o quanto isso prejudica o relacionamento familiar.

Há pouco mais de 50 anos, a mulher massacrada e oprimida pela sociedade machista começou a se revelar, conquistando espaço no mercado cultural e de trabalho, com um brilhantismo sem igual. O desenvolvimento da mulher, que assumiu as mais variadas profissões destacando-se em lideranças, em obras literárias e políticas, trouxe um avanço social nunca vivido no mundo ocidental.

No entanto, a natureza humana é irrefutável e a fêmea tem, na sua estrutura de origem, uma grande necessidade de realização, sendo a mais forte delas o desejo de ser mãe e amar o pai. Parece ser uma síndrome que atormenta e que, se continuada e não resolvida, leva a quadros de insatisfação com a vida, manifestando-se das formas as mais variadas, com grande sofrimento mental.

A mulher contemporânea bonita, atraente e culta tem sua libido estimulada pelo prazer de uma conquista, sem deixar de lado a energia que movimenta seu interior no sentido de realizações pessoais, de alcançar seus sonhos, ser mãe e dar um belo sentido à sua vida. Mas, infelizmente, ainda há um grande número de jovens que não têm diálogo com suas mães e a quem nada se orienta sobre a sexualidade. Muitas mulheres se arriscam numa aventura, tão somente para fugir do ninho conservador materno, realizando um casamento sem estar devidamente apaixonada, o que pode resultar em mais sofrimento. Como fica insuportável conviver com a mãe que tudo critica, preferem arriscar numa possível relação a dois, para ver no que vai dar, na esperança de ficar livre para poder realizar suas aspirações.

A mulher tem vantagens por ter um cérebro diferente, com a capacidade de percepção aliada a um sexto sentido incomparável. Está constantemente fazendo planos: seus pensamentos orbitam incansavelmente dia e noite, como se fosse um show pirotécnico sem fim. Mas o maior espetáculo que a mulher traz ao mundo é o show da vida, a incomparável capacidade natural de trazer um ser ao mundo, para o qual ela dedica a sua existência.

As mulheres precisam entender a necessidade da busca de conhecimento, jogar fora vários tabus das quais são vítimas e acreditar que são capazes de construir uma existência mais justa, com harmonia, compreendendo que ser mãe é mais que uma vocação feminina é uma missão de vida.



Crônica anterior        /         Página inicial         /        Crônica seguinte




Diversos Há 2 anos