arraste para o lado para ver mais fotos
Antonio Lopes - Crônica 399 – Ciúmes doentio é tortura mental

Ciúmes excessivo pode ser doença mental perturbadora, que produz sofrimento contínuo no ser humano. Homens e mulheres ciumentos tornam-se excessivamente inconvenientes por suas mirabolantes fantasias de traição, as quais – na maioria – das vezes não existem. É um sentimento de posse obsessiva com pensamentos que transtornam, criando situações imaginárias de aventuras sexuais, gerando raiva e agressividade. O relacionamento fica insuportável, podendo caminhar para um rompimento e tem sido causa de agressões físicas e neuroses destruidoras, semelhantes a surtos psicóticos. O amor transforma-se em ódio.

Viver com alguém que exige satisfação sobre qualquer situação, como um cheiro de perfume desconhecido; por ter chegado um pouco mais tarde em casa; por trabalhar em local onde a maioria é do sexo oposto; ser vigiado no telefone celular, cerceando a liberdade de ter suas amizades, seu próprio espaço e algumas atividades de lazer, torna-se cada vez mais um complicador no relacionamento, impossibilitando o convívio a dois, podendo resultar num doloroso rompimento da união.

Ter que dar satisfação do que fez, com quem falou e o porquê é muito constrangedor, estimulando defesas mentais criadas pelo Ego diante de tanta agressão, ficando desconfortável para decidir qualquer coisa que não seja de acordo com o que a outra pessoa deseja.

As brigas passam a ser uma constante na vida de ambos e pensamentos de morrer se manifestam, pela dor imaginária de possível perda do objeto amado, surgindo também o pensamento de aniquilar o outro para que ninguém possa usufruir do seu carinho, pensando assim: “se não é meu não será de mais ninguém”.

A pessoa ciumenta patológica não tem limites, trata o outro como um objeto que lhe pertence, com um controle obsessivo disfarçado de amor e, cada vez mais, tem atitudes invasivas em relação ao outro; exigindo as senhas das redes sociais, alegando que aquele que não deve não teme e o outro acaba passando a senha, para evitar discussões. Sua obsessão por encontrar uma traição é tão grande que, se não houver, inventa. Revista gavetas, carteira, computador, celular, busca cheiros nas roupas, liga várias vezes ou envia mensagens, fazendo uma verdadeira caça às bruxas.

É preciso buscar ajuda profissional para sair dessa terrível baixa da autoestima, pois só assim poderá conseguir eliminar a força dos monstrinhos abissais que habitam o ser humano. Humildade e liberdade são fatores que contribuem para a obtenção do equilíbrio mental, tão necessário para o desenvolvimento pessoal.



Crônica anterior        /         Página inicial         /        Crônica seguinte




Diversos 11 meses