arraste para o lado para ver mais fotos
Antonio Lopes - Crônica 408 - Não sei o que fazer e não tenho vontade

“A sensação de vazio faz a vida ficar sem sentido.” Parece que não estou no meu corpo. Não tenho forças para nada. Fico sentado na sala como se não estivesse ali, vem a fome mas não me levanto para buscar alguma coisa para comer. Sinto-me inútil e culpado por alguma coisa, o que me deixa triste, num estado de letargia insuportável. Não consigo me concentrar para alguma atividade, mesmo tendo ao meu lado uma boa pessoa que me “compreende” e me aceita como estou.

Não sei o que fazer para melhorar e só tenho pequeno prazer quando saio para levar meus cachorros a passear, mas não sinto a vida ao meu redor. Parece que não existo, que não estou em lugar nenhum, nada me atrai, não aprecio a natureza e moro num lugar que todos dizem ser lindo. Faço o mínimo que preciso para sobreviver, sei cozinhar o que me agrada um pouco e mesmo assim não me entusiasmo, pois não completa nenhum prazer.

Não consigo conversar com as pessoas, apenas penso que preciso concluir meu curso na faculdade, que já está chegando ao fim, e não me alegro com a possibilidade da formatura. Vou concluir o curso superior e não sei se é isso que quero, não acredito na possibilidade de ser bem-sucedido. Não lembro dos meus sonhos dormindo e não tenho sonhos acordado.

Ficar sem energia é uma rotina e, mesmo tendo uma boa pessoa que me acompanha e dorme comigo, não fazemos sexo há muito tempo e não tenho a mínima vontade. Às vezes preparamos um jantar, tomamos vinho, ficamos jogando vídeogames e a vida continua sem graça, sem motivação, sem tesão. Vou na academia, o que é um pouco agradável, e não consigo me relacionar com as pessoas.

Quantas vezes, após a faculdade, chego em casa, tomo banho, coloco um roupão, sento no sofá e nem meus cachorros me alegram. Eles parecem entender meu sofrimento e ficam sentados quietinhos, como participando do meu vazio. Não sinto minhas pernas nem minhas mãos, parece que não existo e que tudo não é nada.

Choro sozinho, sem nenhum motivo e a tristeza domina minha alma. Algumas vezes pensei em dar fim à vida, mas não tenho coragem. Não sei o que fazer e não tenho vontade de resolver esta situação que domina meu ser.”

Assim são os relatos de pessoas que estão num quadro de anedonia e pode estar associado com baixos níveis de monoaminas no sistema nervoso, como a serotonina, dopamina e adrenalina, manifestando uma disfunção dopaminérgica e noradrenérgica, que precisará de tratamento, o qual dependerá da intensidade do sintoma e a associação com outros possíveis sintomas de depressão.

As sessões de psicanálise tornam-se importantes para buscar as causas e, assim, elaborar soluções que permitam alcançar um equilíbrio mental e despertar o prazer. No entanto, quando esses quadros se apresentam nas minhas sessões de terapias psicanalíticas, encaminho para um médico neurologista, o qual poderá solicitar exames clínicos esclarecedores e, possivelmente, indicar uma medicação adequada. O tratamento multidisciplinar passa a ser o melhor caminho para restabelecer o bem-estar físico e mental.



Crônica anterior        /         Página inicial         /        Crônica seguinte




Diversos Há 7 meses