arraste para o lado para ver mais fotos
Antonio Lopes - Ensaio Psicanalítico 416 – Esgotamento

O estresse acumulado por excesso de compromissos, em pessoas que se exigem muito, leva à sensação de que toda a energia se esvaiu, o corpo e a mente chegam a exaustão, resultando na perda do raciocínio lógico, deixando tudo confuso, com pensamentos de que não tem competência para realizar suas tarefas, complicando com a desestabilização emocional, irritabilidade nos relacionamentos, sentimentos de fracasso e tristeza.

Podem surgir crises de choro, fragilidade em organizar as atividades, dor de cabeça, prisão de ventre, aumento da ansiedade e pensamentos difusos que dificultam a possibilidade de organização do tempo, resultando num quadro difícil de dominar as reações que são psicossomatizadas, com perda da libido, sensação de que todos estão contra e as críticas ferem profundamente.

É necessário aprender a organizar o tempo, lembrando que merece e precisa de algumas horas diárias para cuidar de si mesmo, pois isso pode se transformar numa Síndrome de Burnout (SB), Síndrome do Pânico e doenças inexplicáveis que impossibilitam o pensamento organizado, pois não consegue ver que está com excesso de obrigações.

Personalidades idealistas, empolgadas, com muita dedicação ao trabalho estão mais sujeitas a decepções, se irritam com qualquer manifestação de outras pessoas e ficam com dificuldade em visualizar uma perspectiva para o futuro. O acúmulo de compromissos é devastador. Quando a capacidade do corpo e da mente é muito forçada, em determinados momentos não aguenta mais e explode. É o esgotamento!

Nessa situação é necessário procurar ajuda profissional e utilizar de ferramentas organizacionais que permitam dimensionar bem cada tarefa, estabelecendo a administração do tempo, incluindo espaço para seus momentos de lazer, descanso e prazer. O descanso é importante para relaxar os músculos e se afastar um pouco do foco: facilita a possibilidade de visualizar o que está provocando o excesso de carga de obrigações.

Conseguir enxergar o que incomoda e tratar a origem do problema, identificar os agentes estressores, mapear e fazer ajustes no planejamento, irá fazer a grande diferença. Se continuar no estresse contínuo, o sistema de defesa é acionado sempre e desgasta o organismo. O coração dispara, os vasos sanguíneos contraem-se, resultando no aumento da pressão arterial.

Portanto, se afastar temporariamente do problema, fazer exercícios físicos – mesmo que seja uma caminhada contemplando a natureza – contribui para amenizar o efeito dominó das somatizações, possibilitando alcançar o equilíbrio necessário para melhor administrar as atividades, ampliando a capacidade de execução das tarefas. O cérebro humano precisa de uma boa irrigação para que os neurônios possam interagir nas suas funções e ajustar as sinapses produtoras do bem-estar. É 100% humano.



Crônica anterior        /         Página inicial         /        Crônica seguinte




Diversos Há 7 meses