arraste para o lado para ver mais fotos
Antonio Lopes - Crônica 414 - Personalidade

Comum ouvir dizer que alguém tem uma personalidade muito forte no sentido do estabelecimento de relações sociais. Assim, ouvimos: “Ele não é fácil” ou “Que cara mais difícil”, colocando um rótulo que talvez faça parte de quem está dizendo.

Falar de personalidade é falar de um conjunto de características que determinam os padrões de pensar e agir de uma pessoa. A formação da personalidade tem sua origem desde a mais tenra infância e é influenciada pela forma como se desenvolveu a criação, pela educação dos pais, educadores ou, mais tarde, dos cuidadores. É um enorme complexo de características marcantes, que inconscientemente repete ações semelhantes a algum dos seus genitores (educadores, cuidadores), sem que perceba que está sendo um ato repetitivo, involuntariamente herdado.

Personalidade é uma individualidade. Pode ser parecida com outra, mas é única e é formada por diversos fatores de afetos colocados no desenvolvimento do ser humano. Podemos observar que a personalidade é influenciada por circunstâncias onde se está inserido: o meio social, as leis, as crenças, a religião e a história de vida de cada um.

Quando perguntamos a alguém quem ela é, geralmente responde nome, profissão ou identificação profissional ou familiar. Dessa forma: “Sou Ana Maria, psicóloga, esposa do João, engenheiro civil da construtora tal”. Começa que o nome não foi escolhido por sua vontade, foi colocado e não dá para trocar (há exceções, com processo jurídico). O que se manifesta é a persona, ou seja, é o papel que desempenha em função do momento em que se encontra, mas não é o que se manifestará quando se está só.

A formação da personalidade é um processo gradual em desenvolvimento em cada ser humano, que leva em conta o conceito do senso comum e não um conceito científico definido. É composta pelos temperamentos que são inatos, mas também podem ser modificados ou dominados. (Ver Crônica 409 – Temperamentos.)

Na ótica da Inteligência Emocional, as personalidades e os tipos psicológicos das pessoas são desenvolvidos a partir da interpretação das suas experiências de infância. Mecanismos de defesa são disparados para suprir as necessidades individuais e proteger o ego. Assim, contribuem para formar a personalidade.

Segundo os estudos do Eneagrama, existem nove tipos de personalidade, que interagem e serão manifestadas em função de situações em determinados momentos, de acordo com os interesses pessoais, influenciando as tendências do comportamento. A autopercepção pode influenciar a autoestima e os interesses de alguém, que considera o juízo dos outros a seu respeito, de forma a alterar as características do comportamento em formas diferentes.

Ser portador de personalidade firme e bem definida é estar bem consigo mesmo, eliminando os conflitos pessoais com visão na solução dos próprios problemas, sem ficar transmitindo para outros a responsabilidade sobre a sua qualidade de vida. Não fazer críticas sem o devido conhecimento de toda a situação que se apresenta. Não ficar apontando defeitos que não nos pertencem, mas fazer uma lista do que temos em nós que queremos modificar, para assim assumir compromisso com o próprio crescimento pessoal. Você pode mudar o que não gosta em você.

Vejamos alguns Tipos de personalidade:

Reflexivo extrovertido. Indivíduos cerebrais, racionais e objetivos, que atuam com base na razão. São pouco sensíveis, às vezes prepotentes e manipuladores, grande atividade intelectual e dificuldade com relacionamentos. Teimosos e determinados em alcançar seus objetivos.

Sentimental extrovertido. Habilidade para entender os outros e estabelecer relações sociais, muito difícil para se afastar do seu grupo: sofre quando é ignorado. Grande facilidade de comunicação.

Sentimental introvertido. Solitário, com grande dificuldade no estabelecimento de relações sociais. Melancólico, pouco sociável, faz todo o possível para ficar despercebido, permanece em silêncio e é muito sensível às necessidades dos outros.

Perceptivo extrovertido. Tem fraqueza especial por objetos, aos quais atribui qualidades mágicas. Não são apaixonados por ideias, a não ser que ganhem de forma concreta. Procuram o prazer acima de tudo.

Perceptivo introvertido. Personalidade própria de músicos e artistas, pois colocam ênfase em experiências sensoriais, dando muito valor à cor, forma e textura. O mundo deles é o mundo da forma, como fonte de experiências interiores.

Intuitivo extrovertido. Típicos aventureiros, ativos e inquietos. Determinados em alcançar objetivos e, quando alcançam, passam para o próximo esquecendo o anterior, sem se importar muito com o bem-estar daqueles que o rodeiam.

Intuitivo introvertido. Extremamente sensíveis aos estímulos mais sutis. São pessoas que quase ‘adivinham’ o que os outros pensam, sentem ou se dispõem a fazer. Criativos, sonhadores, idealistas, difíceis de colocar os pés no chão.

100% humano.



Crônica anterior        /         Página inicial         /        Crônica seguinte




Diversos 5 meses