arraste para o lado para ver mais fotos
Antonio Lopes - Crônica 386 – Temperamentos

Todos nós herdamos um temperamento dos nossos pais e cristalizamos pontos de fixação, que podem afetar a vida adulta. É a combinação de características congênitas que, consciente ou inconsciente, induzem nosso procedimento. Essas características do temperamento podem e devem ser controladas, mas também poderão durar algum tempo ou até a vida inteira. Tudo depende da intensidade de como lidamos com o nosso temperamento.

O homem é um ser infinitamente complexo. O temperamento é uma faceta, a atitude da alma expressa no corpo: é ligado ao lado dela que se relaciona com o mundo, que vai em direção ao outro. O Eu, que é nossa verdadeira essência, utiliza do temperamento como um meio de expressão de si mesmo. Temperamento é uma forma de compreensão entre as pessoas e é nesse espaço que ele se dá, ou seja, no espaço essencialmente humano. É 100% humano.

A personalidade é a parte interior da alma humana, a parte que se volta ao Eu, e a parte exterior é unida ao temperamento. Personalidade se mostra, se revela através dos temperamentos. Como a vida da psique progride em níveis, de um estado inicialmente egoísta para o altruísta – segundo a fase evolutiva do ser humano –, os temperamentos dependem do estágio de desenvolvimento da personalidade. Eles podem estar mais voltados ao Ego, ou mais a serviço do mundo, e sua manifestação é diferente segundo essa relação de si para si, ou de si para o outro. Assim, pouco ou nada tendo a ver com caráter ou moral, o temperamento é como o manto da individualidade. A finalidade de estudá-lo não deveria ser para encaixar as pessoas em um tipo definido mas, antes, a de compreender e saber discernir o que predomina na alma de uma pessoa para fins educacionais e terapêuticos. ¹ 

Na parábola africana “O sapo e o escorpião”, podemos identificar a força de um temperamento que é inato e produz uma energia incontrolável.

Certa vez, um escorpião aproximou-se de um sapo que estava na beira de um rio. O escorpião vinha fazer um pedido: "Sapinho, você poderia me carregar até a outra margem deste rio tão largo?" O sapo respondeu: "Só se eu fosse tolo! Você vai me picar, eu vou ficar paralisado e vou afundar". Disse o escorpião: "Isso é ridículo! Se eu o picasse, ambos afundaríamos". Confiando na lógica do escorpião, o sapo concordou e levou o escorpião nas costas, enquanto nadava para atravessar o rio. No meio do rio, o escorpião cravou seu ferrão no sapo. Atingido pelo veneno, e já começando a afundar, o sapo voltou-se para o escorpião e perguntou: "Por quê? Por quê?" E o escorpião respondeu: "Porque sou um escorpião e essa é a minha natureza".

Em alguns momentos agimos como o escorpião e atacamos pessoas queridas: depois vem o arrependimento. Portanto, evoluir a inteligência emocional para identificar as pulsões agressivas muito contribuirá para reduzir os conflitos pessoais nos relacionamentos. Aprimorar a personalidade é encontrar o equilíbrio entre a realidade interna e a externa. É preciso mergulhar no seu interior para desvendar sua natureza e moldá-la para o convívio entre as pessoas.


¹ Conteúdo da apostila do Curso de Psicanálise do instituto IdEgo, Aula 13ª. Técnica Psicanalítica III.


Crônica anterior          /          Página inicial          /          Crônica seguinte




Diversos Há 1 ano