arraste para o lado para ver mais fotos
Antonio Lopes - Crônica 357 - Quem Sou Eu?

Você já se perguntou alguma vez quem é você? Qual é o motivo da sua existência? Procurar saber quem é você não é responder o seu nome ou sua descendência genealógica, não é a sua formação cultural, não é sua profissão, não é o que você faz ou que você tem. Tudo isso são apenas rótulos, da mesma forma que se identifica a marca de um carro ou um tipo de vinho. Você é algo muito mais que um rótulo. Para saber é preciso pensar na sua essência de vida e buscar entender seu interior, a sua alma psique, que comanda seu corpo, todos os sentimentos e emoções.

Jean Paul Sartre (1905 1980), filósofo, escritor e crítico francês definiu o existencialismo como o ponto em que a existência de uma pessoa precede a sua essência. Isto é, apesar da pessoa existir, não há nada para ditar o caráter e os objetivos de sua vida. Cada ser humano, apenas por ele próprio pode definir sua essência. Sua filosofia diz que, no caso do ser humano a existência precede a essência, pois o homem primeiro existe, depois se define, enquanto todas as outras coisas são o que são, sem se definir, e por isso sem ter uma essência posterior à existência.

Você é que define quem você é e muitos dos conflitos pessoais são por não buscar o entendimento consigo mesmo. Não importa sua cor, sexo, origem étnica, nacionalidade, profissão, formação escolar, religião, condição física e onde quer que você esteja e qual seu universo de relacionamentos. Ser é uma escolha e, para isso, é necessário querer se desenvolver como pessoa, elaborar sua essência alimentando a com a busca de conhecimentos e práticas para que os acontecimentos da vida sejam no sentido de lapidar sua alma e alcançar o brilho da luz que há em cada um.

O ser humano não tem consciência das suas potencialidades. Várias pessoas ficam limitadas ao que lhe disseram que ela é. Desde a mais tenra idade ouvimos e gravamos no inconsciente o que nos diziam pais, parentes e conhecidos do nosso convívio. Quando adultos carregamos os estigmas e dogmas que nos foram impingidos e com isso não liberamos nossas capacidades. Ficamos restritos a dizer que só sabemos fazer o que é da nossa área e assim bloqueamos a possibilidade de alcançar nossos sonhos e viver situações desafiadoras, inibindo a descoberta de quem somos.

Você pode descobrir sua essência como pessoa, independentemente de credos que lhe foram impostos. Superar os tabus e saber respeitar o outro como ele é, compreendendo que dentro de cada um de nós habita um universo de desejos que está sempre em busca de satisfação, incomodando e impulsionando em direção as realizações, que há uma energia contida que pode ser direcionada para o bem estar, certamente dominará o saber de quem você realmente é. Assim poderá dar um sentido na vida que trará a satisfação de realmente Ser.



Crônica anterior        /         Página inicial         /        Crônica seguinte




Diversos Há 2 anos