arraste para o lado para ver mais fotos
Antonio Lopes - Crônica 356 – A palavra e os pensamentos

É preciso vencer o orgulho e jogar fora a raiva.

Em diversas situações de relacionamentos de amizade, no trabalho e no amor, às vezes nosso orgulho que vem do ego é atingido por palavras que ferem e desenvolvem a raiva.

Assim, desestrutura o comportamento e o organismo humano reage com aceleração do batimento cardíaco e respiração ofegante. Parece que os neurônios entram em curto-circuito, explodindo centenas de pensamentos simultâneos, injetando na circulação sanguínea doses excessivas de adrenalina, resultando em sensação de enjoo com dores musculares, inibindo o desenvolvimento do raciocínio equilibrado. É como levar um choque de alta voltagem.

Uma palavra em tom de voz alterado produz significados distorcidos, difíceis de serem compreendidos, impossibilitando um diálogo de forma inteligente. Algumas pessoas se prevalecem da força verbal para agredir moralmente o outro, usando essa força como arma de demonstração de autoridade para dominar uma determinada situação.

É humilhante para quem é agredido com palavras num tom de ofensa pessoal e, principalmente, se for na presença de outras pessoas. Uma sensação de impotência, de vergonha e de culpa domina o Ser que fica angustiado por longo período, prejudicando a capacidade de realizar algum trabalho e, pior ainda, afetando a qualidade de vida física e mental, prejudicando até na atividade sexual: são afetos que envenenam a alma.

A emoção atrapalha os pensamentos e por isso não devemos tomar nenhuma atitude sob estado de tensão. Desenvolver a humildade, para ouvir uma pessoa alterada, produz um efeito inesperado no agressor, reduzindo a potência da fala quando se reage com inteligência e serenidade. Isso não quer dizer submissão mas, sim, domínio emocional diante de situações desagradáveis. É ser superior e equilibrado.

Para desenvolver a humildade é preciso perdoar e aprender a viver com todas as adversidades: podemos aprender cantando:

Quem espera que a vida / Seja feita de ilusão / Pode até ficar maluco / Ou morrer na solidão / É preciso ter cuidado / Pra mais tarde não sofrer / É preciso saber viver / Toda pedra no caminho / Você deve retirar / Numa flor que tem espinhos / Você pode se arranhar / Se o bem e o mal existem / Você pode escolher / É preciso saber viver. Às vezes é melhor ir em frente, mesmo que se tenha medo, mostrando coragem para vencer.



Crônica anterior        /         Página inicial         /        Crônica seguinte




Diversos Há 2 anos