arraste para o lado para ver mais fotos
Casos de dengue aumentam e acendem alerta para reforço na prevenção

Itajaí apresenta alto risco de transmissão da doença

Itajaí registrou um aumento de casos de dengue nos últimos dias. Atualmente, a cidade contabiliza 28 casos positivos da doença, sendo 22 autóctones, ou seja, que tiveram transmissão dentro do município. Além do acréscimo nos casos confirmados, até o momento foram notificadas 257 suspeitas da doença em moradores. Os dados acendem um alerta para que a comunidade reforce as ações de prevenção ao mosquito Aedes aegypti.


Dos 28 casos positivos registrados em Itajaí, dez foram confirmados no bairro São Judas. Fazenda, Cidade Nova, São João, São Vicente e Cordeiros possuem dois casos cada; já Centro e Praia Brava contabilizam um caso cada. Há ainda dois casos indeterminados, dois importados e dois sob investigação.

O Município apresentou ainda alto risco de transmissão da dengue no último Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa), realizado em março. Ao todo, são 638 focos positivos. Os bairros considerados com maior índice de infestação são: Cordeiros, São Vicente, Cidade Nova, São João, Fazenda, Centro e Barra do Rio. Cabeçudas, Canhanduba, Vila Operária, Salseiros, Ressacada, Praia Brava, São Judas, Dom Bosco, Espinheiros e Itaipava estão em menor risco de infestação.

Atualmente, a situação mais preocupante é a do bairro São Judas. Conforme o Programa de Controle da Dengue, no local há dez casos confirmados da doença, além de um grande aumento de pessoas com suspeita de dengue. Os dados fizeram com que houvesse uma mobilização dos agentes de endemia no bairro. Estão sendo realizadas atividades de bloqueio da transmissão da doença com visitas de orientação e aplicação de inseticida.

As chuvas, aliadas às alterações de temperatura e a falta de conscientização da população, somam um fator positivo para a proliferação do mosquito. “Pedimos o apoio da comunidade para combater a proliferação do mosquito transmissor, fazendo sua parte e eliminando possíveis criadouros, além de receber os agentes de endemias nas visitas de orientação”, destaca Lúcio Vieira, coordenador do Programa de Controle da Dengue.

Confira as orientações para evitar a reprodução do Aedes aegypti:

• Evitar usar pratos nos vasos de plantas. Se utilizar, colocar areia até a borda;

• Guardar garrafas com o gargalo virado para baixo;
• Deixar lixeiras tampadas;
• Deixar os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
• Tratar a água da piscina com cloro e limpe-la uma vez por semana;
• Manter ralos fechados e desentupidos;
• Lavar com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
• Retirar a água acumulada em lajes;
• Dar descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados;
• Manter fechada a tampa do vaso sanitário;
• Evitar o acúmulo de entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;
• Nos cemitérios, preferir flores artificiais ou plantadas em vasos com terra (sem prato para aparar água);
• Retirar as embalagens plásticas que acompanham os vasos de flores;
• Colocar areia ou terra em locais do túmulo que possam acumular água;
• Retirar os suportes que represam água nas capelas para queima de velas;
• Floreiras de concreto devem estar furadas, para permitir o escoamento da água;

Denuncie a existência de possíveis criadouros de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde pelo telefone (47) 3249-5573. 

Notícia retirada do site da Prefeitura Municipal de Itajaí
Créditos foto:




Notícias Há 11 dias