arraste para o lado para ver mais fotos
Antonio Lopes - Crônica 373 –Trem Bala

Não é sobre ter todas pessoas do mundo pra si / É sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti / É sobre cantar e poder escutar mais do que a própria voz / É sobre dançar na chuva de vida que cai sobre nós / É saber se sentir infinito / Num universo tão vasto e bonito, é saber sonhar / Então, fazer valer a pena / Cada verso daquele poema sobre acreditar / Não é sobre chegar / no topo do mundo e saber que venceu / É sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu / É sobre ser abrigo / E também ter morada em outros corações / E assim ter amigos contigo em todas as situações / A gente não pode ter tudo / Qual seria a graça do mundo se fosse assim? / Por isso eu prefiro sorrisos / E os presentes que a vida trouxe pra perto de mim / Não é sobre tudo que o seu dinheiro é capaz de comprar / E sim sobre cada momento, sorriso a se compartilhar / Também não é sobre / Correr contra o tempo pra ter sempre mais / Porque quando menos se espera a vida já ficou pra trás / Segura teu filho no colo / Sorria e abrace teus pais enquanto estão aqui / Que a vida é trem bala, parceiro / E a gente é só passageiro prestes a partir.” Trem Bala, Ana Vilela, 2016. *

Essa riqueza de conteúdo vindo de alguém que não tinha pretensão e nem imaginava o sucesso alcançado, e que continuará a contaminar as pessoas com uma grande realidade da vida, merece ser apreciada e introjetada na mente humana, como uma grande lição do que é viver.

Não ficar lamentando as adversidades e procurar entender que a felicidade é um momento. Que cada um de nós pode contribuir com atitudes e ações e com ensinamentos de grande sabedoria. Viver em plenitude é tudo isso, aproveitar o agora com alegria como se fosse o último dia da existência.

Precisamos aprender com humildade: não importa quais sejam as circunstâncias, é ser passageiro que não sabe quando termina sua viagem e desenvolver a criatividade latente em cada um de nós. Essa criatividade, que está adormecida no inconsciente, pode ser liberada se aprendermos a estimular os pensamentos, fazer sempre uma conversa interior, com comandos positivos para melhor compreensão da vida.

As emoções se manifestam a cada momento vivido, as palavras têm a força de eliminar a depressão, a angústia, a ansiedade, a raiva, a tristeza, a preguiça e, num diálogo consigo mesmo, tudo pode se tornar diferente. Para isso precisamos acreditar que somos seres capazes de criar coisas maravilhosas, mas que também podemos destruir e sofrer. É uma questão de escolha, praticando e respeitando que todos os passageiros deste Trem Bala são 100% humanos.

*Link da música



Crônica anterior          /          Página inicial          /          Crônica seguinte




Diversos Há 1 ano