arraste para o lado para ver mais fotos
Antonio Lopes - Ensaio Psicanalítico 420 - A qualidade de vida

Ruminar as imperfeições pessoais, reclamar a todo instante sobre tudo, colocar a culpa nos outros, enganar a si mesmo com fantasias e justificativas para o fracasso, só faz amargar a memória, tornando-se chato e insuportável. Dessa forma, as pessoas se afastam e não convidam a participar das atividades sociais e de lazer. Ninguém aguenta! Isso é um autoflagelo! O pior é que, pessoas que assim estão, não se percebem, pois, o Ego – enfurecido por não conseguir nada realizar –, torna-se agressivo, intolerante e cego da realidade externa, agoniza por não satisfazer seus mais simples desejos.

A dificuldade em cercar-se de pessoas interessantes, com assuntos e programas estimuladores, leva ao isolamento e descontrole emocional, resultando numa neurose difícil de curar. Estabelecer um relacionamento amoroso, ou de amizade, parece impossível. A dificuldade em aceitar uma crítica, ou qualquer observação sobre seu comportamento, culmina numa tortura que o impede de enfrentar a realidade.

Melhorar a qualidade de vida, é estar bem resolvido consigo mesmo e não ficar remoendo sobre os acontecimentos negativos, mas, sim, buscar visualizar o lado bom das eventualidades a que estamos sujeitos. A maioria das coisas que nos acontecem são involuntárias, mas o que fazer com elas depende de nós. Podemos identificar afetos que desequilibram o pensamento, provocando emoções que resultam em atitudes impensadas e desastrosas.

Tornar-se mais flexível e desenvolver a humildade é o caminho para se estabelecer uma melhor interação com a coletividade. Não ser dono da verdade, mas, sim, aberto a ouvir e procurar sentir o que outro sente, sem querer modificar o seu jeito, pode contribuir para se estabelecer harmonia nos relacionamentos interpessoais. Aprender a proatividade dá trabalho, porém, praticar todos os dias a não querer colocar suas impressões e opiniões a qualquer custo, tornará o ambiente mais agradável e alegre. É importante ser aberto a outros posicionamentos, impressões e sentimentos.

Elucidado, em paz consigo mesmo diante de situações desequilibradas, respeitando opiniões diversas e entendendo que cada um tem seu jeito de ser, vestir a máscara feliz que não fumega como um dragão enfurecido, trará um prazer enorme de viver, seja onde for e com quem for. Experienciar diferentes ritmos e novas realidades, permitir livrar-se dos números não essenciais para a sobrevivência, como peso e altura, dando preferência a amigos alegres e inteligentes, aprendendo mais sobre a modernidade, computador, artesanato, jardinagem, pescaria, algum esporte ou qualquer coisa que realize, trará felicidade e melhor qualidade de vida. A escolha é de cada um, faça a melhor escolha. A vida não é medida pelo número de vezes que você respirou, mas pelos momentos em que você perdeu o fôlego! De tanto rir... De surpresa... De êxtase... De felicidade... De amor...

Não esperar a velhice chegar para dar valor à sua energia, usufruir a vida agora, aceitar a velhice de outra forma e com outras coisas, e não com aquilo que gostaria de ter feito e não fez. Não se isolar e fazer parte do espetáculo de existir neste mundo de oportunidades, contribuirá para o desenvolvimento pessoal. Portanto, fazer das dificuldades uma oportunidade para crescer como pessoa, e se superar, resultará na maravilhosa alegria de viver! Assim a qualidade de vida será ótima.



Crônica anterior        /         Página inicial         /        Crônica seguinte




Diversos Há 4 meses